Quanto mais antigo é o edifício, menor a duração do contrato de arrendamento

10 Dezembro 2009



«Existe uma relação directa entre a antiguidade dos activos imobiliários de rendimento e a duração dos seus contratos de arrendamento», afirmou hoje Luís Francisco, responsável pelo IPD para a Europa do Sul, durante a apresentação da s


De acordo com o especialista, esta relação traduz-se na seguinte equação: «quanto mais antigo for o edifício, menor será a duração dos contratos de arrendamento».

Este estudo, realizado pelo IPD|Imométrica analisa a composição da base de dados do IPD em Portugal à data de 31 de Dezembro de 2008, que incluía 6.512 contratos de arrendamento, cujo valor de renda de mercado anual rondaria os 377,726 milhões de euros. Segundo esta análise, o retalho destaca-se como sendo o sector dominante, concentrando 76,5 % dos contratos de arrendamento, e 62,4 % do valor das rendas de mercado anuais. Embora assumam a maior presença na base de dados, os escritórios representam apenas 18,5 % do total de contratos de arrendamento, e 19,4% do valor total das rendas de mercado. Neste sector, assumem destaque os escritórios localizados na zona central de Lisboa (zona prime e CBD), com 8,8% dos contratos de arrendamento e 8,7% do valor das rendas de mercado. Conjuntamente, os restantes sectores considerados na metodologia IPD, nomeadamente o Industrial e Uso Misto/Outros, representam 5 % dos contratos de arrendamento registados, e 18,2% do valor das vendas. Importa aqui salientar o peso de 11,9% evidenciado pelos activos imobiliários não tradicionais, com destaque para os imóveis residenciais, hotelaria e saúde.

 

Fonte: Vida Imobiliária






Recomendar a um amigo

Use o seguinte formulário
close