Empresas obrigadas à racionalização de espaço devido à crise

5 Maio 2009



O European Landlord & Tenant Survey 2009, divulgado pela Cushman & Wakefield, revela que algumas empresas têm sido obrigadas a racionalizar custos ao nível da ocupação de espaço e de recursos humanos, para fazer face à actual c


Estes serão factores importantes a considerar nos próximos 12 meses na procura de escritórios. Mais de metade dos inquiridos são ocupantes, 65%, sendo os restantes 35% são proprietários do espaço. 60% dos inquiridos antecipam também que irão mudar a utilização de espaço nos próximos 12 meses, considerando para isso espaços em open space e também práticas de trabalho flexível, de acordo com a consultora imobiliária. 40% dos ocupantes intensificaram a utilização do seu espaço de escritórios, e um terço antevê que a sua ocupação será ainda mais intensa durante este ano. Segundo Carlos Oliveira, Partner e Director de Escritórios da Cushman & Wakefield em Portugal, ?Estamos a passar, sem dúvida, uma fase difícil tanto para ocupantes como proprietários. No entanto, a oferta limitada de espaços de primeira qualidade nas principais cidades, e a actual retracção na promoção imobiliária de novos projectos, deverá assegurar que os mercados de escritórios estarão equilibrados e bem posicionados para quando a situação económica global voltar a melhorar.?
Ainda de acordo com este estudo ao nível europeu, prevê-se que as empresas de comunicações e tecnologias serão as mais vão reduzir o espaço de ocupação em 2009. Actualmente, as empresas de serviços financeiros lideraram esta tendência e mais de metade destas já reduziu espaço no último ano. Outra forma de fazer face ao actual cenário, algumas empresas irão optar também pela renegociação dos seus contratos de arrendamento de modo a reduzir o seu compromisso contratual ou obter alguma redução dos valores de rendas. De facto, a tendência tem sido para a diminuição das rendas nas principais cidades europeias e será uma realidade que continuará a fazer-se sentir-se no decorrer deste ano. Metade dos proprietários tenciona dar mais incentivos aos inquilinos para os manter, enquanto que 37% estão mesmo na disposição de baixar as rendas. Fonte: Vida Imobiliária




Recomendar a um amigo

Use o seguinte formulário
close