Crise: valor das casas cai pela primeira vez este ano

8 Agosto 2008



A manter-se a tendência, 2008 pode acabar com uma queda face a 2007 O mercado residencial português registou uma travagem na sua valorização mensal em Junho, interrompendo, desta forma, a linh


Crise lança desconfiança

«Não obstante, se, nos meses de Verão, a rota de correcção iniciada em Junho persistir, a valorização média anual da habitação acabará por estagnar ou mesmo descer», alerta o estudo. Os últimos resultados do ICI traduzem um sentimento de incerteza quanto à evolução futura do mercado, tendo em conta factores como o aumento das taxas de juro, o abrandamento económico, o aumento da inflação e a incerteza económica internacional que se têm reflectido nos níveis de confiança das famílias. Só nos próximos meses se poderá averiguar se o mercado resiste ou não a estas pressões, ou seja, se o comportamento de Junho persistirá.

Novos sentiram mais a «travagem» mas usados também voltaram a cair

O mercado de habitação nova foi o que mais sentiu esta «travagem», com o ICI a registar uma valorização média mensal de -0,8% em Junho. Ainda assim, e à semelhança do total do ICI, este segmento continuou a verificar uma valorização média anual em crescimento (2,6%). Recorde-se que os fogos novos têm sido o principal motor da dinâmica de valorização do mercado residencial, sendo o sector no qual o ICI tem atingido níveis de valorização mais elevados. Quanto aos fogos usados, assistiu-se igualmente a uma descida mensal (-0,1%), embora neste caso seja já o segundo mês consecutivo em que se verifica uma quebra. Este é um dos sinais a reter, já que, desde final de 2006, que não se registavam dois meses consecutivos de descida do ICI. No mercado de usados, a taxa de valorização média anual foi de 2,0% em Junho.

Área Metropolitana de Lisboa regista terceira descida mensal

Também na Área Metropolitana de Lisboa (AML) se verificou um arrefecimento, com as taxas de variação mensal do ICI a caírem pelo terceiro mês consecutivo, ou seja, traduzindo uma inversão bastante mais acentuada do que o geral do mercado. Esta região apresenta ainda outro padrão diferente, pois o arrefecimento é justificado pelo segmento dos usados. Nos últimos três meses, o mercado habitacional da AML teve variações mensais negativas, num total acumulado de -0,8%. O segmento de casas usadas teve uma variação acumulada semelhante, influenciando em baixa a taxa de valorização homóloga, que caiu de 2,9% em Abril para 1,9% em Junho. Em termos médios anuais, o ICI valorizou 1,7% na AML em Junho. O Índice Confidencial Imobiliário é a mais longa série sobre imobiliário em Portugal e o seu início remonta a Janeiro de 1988. Trata-se de um indicador de inflação do valor da habitação em oferta no Continente, assentando numa metodologia que contempla procedimentos de ajustamento de qualidade (via estratificação e estimação de preços hedónicos), minimizando o impacto da alteração temporal do mix de oferta. O ICI recorre à informação disponível no portal imobiliário LardoceLar.com, que reúne a oferta de mais de 450 mil fogos. Fonte: Agência Financeira




Recomendar a um amigo

Use o seguinte formulário
close