Valor das casas deve subir 3% este ano apesar da crise

15 Julho 2008



Casas novas impulsionam valorização do mercado da habitação. De acordo com o Índice Confidencial Imobiliário (ICI), uma medida da valorização da habitação, o ritmo de valorização do mercado residencial continuou a acelerar em Maio,

«Em Maio, o ICI registou uma variação mensal de 0,4% e uma taxa de valorização média anual (que compara a variação média do índice nos últimos 12 meses face aos 12 meses
anteriores) de 2,1%, esta última traduzindo um aumento de 0,3 pontos percentuais face ao valor registado em Abril», explica a Imométrica, empresa responsável pelo índice, em comunicado.
«Especialmente importante por coincidir com um período de incerteza e instabilidade macroeconómica, esta performance revela uma evidente recuperação do ICI, também visível na taxa de variação homóloga (apurada pelo confronto do ICI no mês de Maio face a Maio do ano anterior), que ascendeu a 4,2%», acrescenta. A taxa duplicou nos últimos quatro meses, e tudo indica que, a manter-se, permitirá antever taxas de valorização anuais acima dos 3% em 2008.
Casas novas valem mais 17% que usadas
O segmento de habitação nova é o principal motor para esta performance, ainda que os fogos usados tenham igualmente registado um comportamento melhorado.
Verifica-se um aumento do prémio nos valores praticados nos fogos novos face aos usados, que num ano passou de 13% para 17% e que foi especialmente sentido na Área Metropolitana do Porto. De acordo com o Índice Confidencial Imobiliário, estes dados traduzem uma realidade segundo a qual a construção nova, que tem vindo a reduzir, se orienta fundamentalmente para a gama alta do mercado.
Todo este enquadramento explica a razão pela qual o mercado de novos registou, em Maio, uma taxa de valorização média anual de 2,3%, devendo subir de forma rápida, mercê de uma taxa homóloga que atinge já os 5,4%. No caso dos usados, a valorização média anual em Maio
foi de 1,8%.
Algarve continua a valorizar acima do mercado
O mercado habitacional algarvio dá sinais de poder ser beneficiado com o arrefecimento sentido em Espanha, sendo uma das regiões que mais tem acentuado o seu ritmo de
valorização nos últimos meses, considera a empresa em comunicado.
Em Maio, a habitação no Algarve valorizou 4,4% em termos médios anuais, superando zonas de maior valor como as áreas metropolitanas de Lisboa e do Porto.
O segmento dos fogos novos foi o que registou um maior ritmo de valorização, passando para terrenos positivos, depois de uma taxa de valorização média anual de -3,3% em Janeiro deste ano.
O Índice Confidencial Imobiliário é a mais longa série sobre imobiliário em Portugal e o seu início remonta a Janeiro de 1988. Trata-se de um indicador de inflação do valor da habitação em oferta no Continente, assentando numa metodologia que contempla procedimentos de ajustamento de qualidade (via estratificação e estimação de preços hedónicos), minimizando o impacto da alteração temporal do mix de oferta. O ICI recorre à informação disponível no portal imobiliário LardoceLar.com, que em 2007 registou um total acumulado de 320 mil imóveis, provenientes de 1.388 empresas de mediação. Para além do Continente, o índice incide sobre a Área Metropolitana de Lisboa, a Área Metropolitana do Porto, as regiões Norte, Centro, Alentejo e Algarve.

Fonte: Agência Financeira




Recomendar a um amigo

Use o seguinte formulário
close