Lisboa desce no ?ranking? das localizações de escritórios mais caras do mundo

30 Junho 2008



Lisboa desceu quatro lugares no ?ranking? das localizações de escritórios mais caras do mundo, ocupando agora a posição 71, numa lista que continua a ser liderada por Londres, de acordo com o relatório semestral ?Global Market Rents? d


A consultora refere, no , que no final do primeiro trimestre os custos de ocupação em Lisboa registaram um crescimento de 2,4% face ao mesmo período do ano passado. No entanto, como o crescimento de custos foi maior na generalidade das outras localizações internacionais, a capital portuguesa desceu quatro posições.
Com a manutenção de Londres no primeiro lugar (com um custo mensal de 170 euros por metro quadrado na zona de West End, incluindo renda e outros custos associados), a principal novidade nas localizações de topo foi Moscovo, que passou do quarto para o segundo lugar no espaço de um ano (tendo agora custos de ocupação de escritórios de 132 euros mensais por metro quadrado). O mercado de escritórios de Lisboa ficou de fora da lista dos 50 mercados mais caros do mundo, com 24,5 euros mensais por metro quadrado de custos de ocupação. Este valor traduz a renda ?prime? do sector ? que se situa em cerca de 20,5 euros por metro quadrado e por mês ?, acrescida de um valor máximo de custos de condomínio, na ordem dos 4 euros mensais por metro quadrado. No mesmo estudo a CB Richard Ellis sublinha ainda que ?os custos de ocupação de escritórios continuam a crescer acima da inflação mundial, o que, de certo modo, constitui um desafio à fraca performance da economia mundial e à crise do crédito de alto risco?. A consultora explica que ?esta subida tem sido mais evidente nos mercados emergentes, devido ao desequilíbrio existente entre a oferta e a procura, mas também à depreciação do dólar em relação às moedas locais?. A cidade que registou o crescimento mais elevado nos custos de ocupação ao longo deste período em análise pela CB Richard Ellis foi Ho Chi Minh, no Vietname, com um acréscimo de 94%, logo seguida por Moscovo, com um aumento de cerca de 93% e por Singapura, com 86%. Dos 173 mercados empresariais analisados pela consultora, 88% registaram uma subida dos custos de ocupação de escritórios.

Fonte: Vida Imobiliária




Recomendar a um amigo

Use o seguinte formulário
close