Londres apresenta-se como o principal mercado imobiliário da Europa

27 Maio 2008



Na capital inglesa realizam-se algumas das mais importantes operações de investimento do ?Velho Continente? e os seus resultados têm, inevitavelmente, influência na economia inglesa e, consequentemente, europeia.


Segundo o relatório do 1º Trimestre de Londres, da worx, os indicadores confirmam que o mercado imobiliário da principal metrópole inglesa mantém-se ?em baixa?, mas não se encontra numa situação tão negativa como alguns analistas sugerem.
O take-up de Londres recuperou ligeiramente no primeiro trimestre de 2008 depois da descida de 44% testemunhada no final do ano transacto, enquanto o volume de transacções durante os primeiros três meses deste ano cresceu 17,8% para os 306.000 m², apesar deste valor ainda se situar 11% abaixo da média do último ano.
Refira-se que se verificou um crescimento significativo nas operações em que envolvia espaços de escritórios usados, particularmente no centro da capital inglesa (London City) onde o volume de transacções aumentou aproximadamente 25%. Já na zona das ?Docklands?, onde se situa Canary Wharf, assistiu-se ao crescimento mais elevado de take-up durante este primeiro trimestre de 2008: 302,9% correspondentes a 34 mil m², sendo este valor 318,1% superior ao testemunhado nos primeiros três meses do ano passado (8.000 m² de take-up). O aumento de absorção nesta zona deveu-se essencialmente à aquisição do Moody?s Investor Services ao antigo espaço do Telegraph (aproximadamente 17 mil m²).
Os níveis de procura aumentaram 7,2% nos últimos três meses, com excepção de West End, a zona europeia com a prime rent de escritórios mais elevada, a registar uma descida de 15,6% no último trimestre, apesar de, na média anual, apresentar um valor positivo de 42,5%.
A oferta manteve-se estável nas principais zonas de Londres ? West End, City e Docklands ? após o crescimento significativo nos espaços disponíveis registados no 4º Trimestre de 2007, quando um número considerável de espaços construídos foi incluído no stock. Nos últimos três meses do presente ano, o espaço disponível totaliza 1.380.000 m², reflectindo-se em 6,2% da vacancy rate, ou seja, números idênticos aos verificados nos últimos três e 12 meses.
No que diz respeito ao espaço em construção no 1º Trimestre de 2008 situou-se nos 1.368.000 m²; um registo -1,2% que o testemunhado nos três últimos meses de 2007 e 33.3% superior ao verificado no 1º T. de 2007.
No 1º Trimestre de 2008 o investimento no mercado londrino foi de 2.118 milhões de libras (2.700 milhões de euros), verificando-se um aumento de 54,7% quando comparado com o último trimestre do ano transacto.

Fonte: Casa Sapo




Recomendar a um amigo

Use o seguinte formulário
close