Absorção de escritórios em Lisboa ascende a 34.162 m2

26 Maio 2008



Corredor Oeste lidera mercado. O mercado de escritórios de Lisboa absorveu, no primeiro trimestre de 2008, um total de 34.162 metros quadrados, correspondentes a 86 operações.


De acordo com o «research» da Jones Lang LaSalle, neste período, a Zona 6 (Corredor Oeste) liderou o mercado em termos de área colocada, concentrando 31,5 por cento do total absorvido, correspondente a 10.744 m2.
Seguiram-se a Zona 2 (7.975 m2), Zona 5 (6.685 m2) e a Zona 1 (6.507 m2). A consultora explica ainda que o mês de Março registou a performance mais dinâmica, com um total de 21.878 m2 tomados no último mês do trimestre.
Comparativamente com o primeiro trimestre de 2007, assistimos a um decréscimo no nível de transacções na ordem dos 28%. As zonas que registaram um decréscimo de transacções mais acentuado foram a Zona Prime CBD, o Corredor Oeste e a Zona 7.
Escritórios novos nas preferências
Os escritórios novos foram os mais procurados no 1º trimestre, contabilizando 17.462 m2 transaccionados, valor para o qual contribuíram fortemente a colocação do Instituto de Seguros de Portugal (5.364 m2 no Edifício Via República) e do BNP Paribas (4.200 m2 no Arts Business Center). À semelhança do que tem vindo a verificar-se, o sector financeiro continua a liderar a ocupação de escritórios, com 11.784 m2.
Em termos da dimensão das áreas, cerca de 72% do número de operações verificadas englobam escritórios até 300 m2, enquanto que os espaços entre os 300 e os 800 m2 foram eleitos em 17% das operações realizadas.
Nos primeiros três meses do ano a prime rent situou-se nos 22 euros/m²/mês e a renda média ascendeu a 19 euros/m²/mês em localizações «prime». Ao longo do trimestre em curso, a tendência é para a estabilização destes valores, estima a Jones Lang LaSalle.

Fonte: Agência Financeira




Recomendar a um amigo

Use o seguinte formulário
close