Bancos já apertam na compra de casa e restrição vai continuar

12 Maio 2008



Tendência de «spreads» mais altos vai permanecer. Os bancos já estão a ser mais restritivos nos créditos que concedem e a tendência é para o grau de exigência nas restrições vir a ser cada vez maior.


De acordo com uma análise do Banco de Portugal (BdP), divulgada esta sexta-feira, e que contempla um inquérito a cinco entidades bancárias, os critérios de concessão de empréstimos ao sector privado não financeiro tornaram-se mais restritivos nos primeiros três meses deste ano, quando comparados com os do trimestre anterior. Sobretudo, no que diz respeito aos segmentos de empréstimos a empresas e a particulares para aquisição de habitação.
As razões para esta postura prendem-se com o aumento dos custos de financiamento e restrições de balanço dos bancos, tudo à luz da turbulência que se sente nos mercados financeiros internacionais.
«Paralelamente, uma avaliação menos favorável dos riscos apercebidos, entre os quais a deterioração das perspectivas para a actividade económica em geral, foi igualmente reportada como factor indutor para a aplicação de critérios mais exigentes», refere o BdP no inquérito realizado sobre o mercado de crédito.
As medidas já postas em prática pelas instituições financeiras passam por um aumento dos spreads aplicados, quer na classe de risco mais elevado, quer nas classes de risco médio, e numa maior exigência quanto a outras condições contratuais além das taxas de juro.
Particulares vão reduzir pedidos de empréstimo
Para este segundo trimestre, o inquérito realizado permite concluir que a adopção de regras mais restritivas vai continuar na concessão de empréstimos. Se, por um lado, se espera uma «relativa estabilidade» na procura de empréstimos por parte das empresas (com excepção de uma instituição bancária), já na procura de particulares tudo aponta para uma redução.
Os bancos inquiridos revelaram ainda ter já registado dificuldades na obtenção de financiamento no mercado por grosso, uma tendência que também vai continuar nos próximos meses.
Já nos empréstimos a particulares para consumo e outros fins, três instituições bancárias reportaram igualmente a adopção de critérios de aprovação de empréstimos mais limitadores no decurso dos três primeiros meses, quando comparado com o trimestre anterior

Fonte: Agência Financeira




Recomendar a um amigo

Use o seguinte formulário
close