Lisboa demasiado cara para permitir crescimento

16 Abril 2008



Lisboa continua a estar entre as cidades menos recomendadas em termos de perspectivas de investimento e desenvolvimento a nível imobiliário, ocupando apenas o 23º lugar, numa lista de 27 mercados imobiliários.


De acordo com um relatório sobre oportunidades de investimento no mercado imobiliário europeu publicado pelo Urban Land Institute (ULI) e pela PricewaterhouseCoopers. Embora Lisboa tenha alcançado a sua melhor posição de sempre no relatório, a capital portuguesa continua a ser encarada sob uma perspectiva de estabilidade, embora «demasiado cara para permitir um crescimento significativo», e como tal, «Esperam-se poucas transacções, com o mercado a aguardar a correcção de preços que não aconteceu tão rapidamente quanto previsto» diz a PricewaterhouseCoopers.
Numa perspectiva global, ao fim de três anos marcados pelo sentimento positivo, a optimismo parece ter dado lugar à precaução, com o mercado a encarar o futuro com alguma incerteza. Num cenário de crise, em que os preços dos imóveis continuam a cair, este ano a lista das perspectivas de investimento e desenvolvimento do mercado imobiliário europeu foi liderada por Moscovo e Istambul, ao contrário do ano passado, em que os lugares cimeiros do ranking pertenceram a Paris e Londres. De acordo com o documento, estas escolhas demonstram uma nova tendência para apostar mais em outros mercados imobiliários, deixando um pouco de lado as cidades europeias mais tradicionais. Assim Paris caiu para o 5º lugar, mas a maior queda foi mesmo protagonizada por Londres, ao descer para a 15ª posição. Esta depreciação deve-se sobretudo ao mau momento do mercado imobiliário britânico, com os preços das casas em queda e os níveis de endividamento a aumentarem significativamente.

Fonte: Vida Imobiliária




Recomendar a um amigo

Use o seguinte formulário
close