166 milhões de euros para a recuperação da zona ribeirinha

8 Abril 2008



166 milhões de euros é a quantia prevista pelo Governo para custear os planos de intervenção para a zona ribeirinha da cidade de Lisboa.


Assim, para a requalificação da baixa pombalina (entre o Cais do Sodré e Santa Apolónia, com uma forte aposta na revitalização do Terreiro do Paço) estão destinados 51,6 milhões. Com as operações urbanísticas destnadas à Ajuda-Belém, conta gastar-se 86 milhões (mais 28,4 milhões numa segunda fase, de acordo com plano Frente Tejo, elaborado pela Parque Expo.Estas iniciativas devem ficar concluídas em 2010, a tempo das comemorações do centenário da República. No que diz respeito à Baixa Pombalina, a área de intervenção será de 40 hectares, e o impacto pretendido com este projecto será a recuperação da centralidade desta zona da cidade, com a introdução de uma nova oferta de serviços. A acessibilidade, com a aposta numa melhor circulação em transportes públicos, e o próprio espaço público, com a criação de diversas áreas pedonais e ciclovias, são os restantes pontos chave deste Plano.
Assim, para esta área, estão previstos projectos que passam pela criação de um novo espaço público com quatro hectares na Ribeira da Naus, no Terreiro do Paço, após a saída dos ministérios das Finanças e/ou Administração Interna, um hotel/hotéis de charme, bem como a recuperação das fachadas e a conversão dos pisos térreos destes edifícios em espaços comerciais.
Na Doca da Marinha, será criado um equipamento cultural e no Cais do Sodré, um parque de estacionamento subterrâneo.
Por seu turno, para a área de intervenção que abrange Bélem e a Ajuda, numa zona de 104 hectares, irá ser construído um novo Museu Nacionaldos Coches e Escola de Arte Equestre. Nos Jerónimos passam a realizar-se espectáculos de luz e de som junto ao mosteiro.Para a Ajuda está prevista a conclusão do Palácio e a requalificação da calçada.
Vai também ser criada uma rota que unirá os jardins Tropical, do Palácio de Belém, e Botânico, que sofrerão importantes obras de requalificação. O corredor entre o Museu Nacioanl dos Coches e Centro Cultural de Belém vai ser também alvo de destaque. Irão também ser criadas nesta zona diversas passagens desniveladas, viárias e pedonais, e novos parques de estacionamento, subterrâneos e de superfície.

Fonte: Vida Imobiliária




Recomendar a um amigo

Use o seguinte formulário
close