Proprietários querem revogação do novo regime de arrendamento

27 Fevereiro 2008



ANP realça que apenas 0,075% das rendas foram actualizadas. A Associação Nacional de Proprietários (ANP) pretende que o novo Regime de Arrendamento Urbano (NRAU), que entrou em vigor precisamente há dois anos, seja revogado. De acor



«É uma não-lei». Não serve ninguém e não cumpre os objectivos principais: actualização das rendas e recuperação do parque municipal», sustenta a porta-voz da associação, Emília Borralho.
A responsável, num encontro com a imprensa, realçou ainda que, desde 2006, dos 400 mil fogos com rendas antigas, foram feitos apenas 9 mil pedidos de actualização (2,25 por cento), dos quais estarão concretizados cerca de 300 (0,075%).
Resposta à «indignação» da renda do Eleven
Esta tomada de posição da ANP surge em resposta à «indignação» do vereador da Câmara Municipal de Lisboa, Sá Fernandes, face à renda que um restaurante de luxo (Eleven) estaria a pagar apenas 500 euros na zona do Parque Eduardo VII, em Lisboa.
Os proprietários vieram assim dar o seu «total apoio» ao responsável, mas sublinhando as condições dos seus membros associados e que representam. «Há senhorios com rendas comerciais de fogos, com áreas equivalentes situados em zonas nobres e arrendados, não por 500 euros, mas por 50 euros e até menos», acrescentou Emília Borralho.
Desta forma, a proposta da associação é que a lei seja «revogada», que as rendas sejam actualizadas em «pelo menos o dobro», bem como os idosos recebam «subsídio de renda».

Fonte: Agência Financeira




Recomendar a um amigo

Use o seguinte formulário
close