Sobrelotação detectada em mais de meio milhão de fogos

3 Outubro 2007



Mais de meio milhão de famílias vivem em Portugal em habitações demasiado pequenas face ao número de pessoas do agregado familiar.


O Vale do Ave é a zona do país onde é mais acentuado o problema de sobrelotação, mas de um modo geral esta situação é detectada em locais onde há maior povoamento e onde se concentram menores recursos, avança o «Jornal de Negócios».
Em 2001, o número de alojamentos sobrelotados (568.886) correspondia a 16% do total do parque habitacional português. Mas de acordo com o Plano Estratégico da Habitação, «os casos de maior incidência do problema representam cerca de 10% da totalidade dos casos de sobrelotação». E acrescenta que «do total de fogos nesta situação, 414.160 têm falta de uma divisão, 113.797 têm falta de duas divisões e 40.929 têm falta de 3 ou mais divisões».
Os números dão que pensar. Mais ainda quando se percebe que cerca de 20% da população portuguesa encontra-se abaixa do limiar de pobreza. Mas mesmo as famílias com rendimento mais baixo têm elevado acesso à compra de habitação, afirma o PEH.
Mais precisamente 78,1% das famílias com menores rendimentos têm casa própria, contra 73,4% da média nacional. Os números são mais impressionantes quando se apercebe que este valor está 20% acima da média europeia (onde é de 58,3%). O resultado é que as condições das casas nem sempre são as mais adequadas.

Fonte: Agência Financeira




Recomendar a um amigo

Use o seguinte formulário
close