Casas demoram o dobro do tempo a vender-se

28 Junho 2010



A crise está a afectar o mercado imobiliário e os sinais estão à vista. As casas na Área Metropolitana de Lisboa (AML) demoram actualmente quase o dobro do tempo para se venderem do que há um ano.


As mais recentes estatísticas habitacionais Confidencial Imobiliário (Ci) | LardoceLar.com revelam que os tempos de absorção de fogos da base de dados LardoceLar.com aumentaram significativamente nos últimos doze meses na AML.

Os dados referentes ao 1º trimestre de 2010 para esta região evidenciam que os fogos novos demoram cerca de 18 meses a ser absorvidos, enquanto que, no caso dos usados, essa demora é de 17 meses.

«Estes são tempos bastante mais elevados que os 12 e 10 meses, respectivamente para os segmentos novo e usado, que se verificavam em igual período do ano passado. Se compararmos com os primeiros trimestres dos dois anos precedentes (2007 e 2008), este diferencial é bastante mais acentuado, já que, nestes períodos, os tempos de absorção eram de 7 meses nos novos e 9 meses nos usados», pode ler-se no relatório da empresa.

Casas dois anos à espera para serem compradas Em termos de concelhos, na Margem Norte do Tejo, Cascais regista os maiores tempos de absorção em ambos os segmentos (21 meses nos novos e 20 nos usados), enquanto que Loures se situa no ponto oposto (com 14 meses nos novos e 15 nos usados). Quanto à Margem Sul do Tejo, concentra os maiores e os menores tempos de absorção de toda a região Metropolitana, sendo em Palmela que se observam os valores mais extremados (29 meses para os novos e 23 para os usados), em contraponto com a Moita, onde tais intervalos de tempo são menores (11 meses para os novos e 10 para os usados). A Lardocelar.com revela que, mesmo assim, foram mais os imóveis que saíram da base de dados (1.500 por concelho, em termos médios) do que aqueles que entraram (1.000 por concelho, em termos médios), ou seja, há menos casas para vender. «Esta é uma situação aparentemente favorável à absorção, tendo contudo que considerar-se que algumas destas saídas poderão ser apenas desistências da oferta», alerta a empresa. Preços revistos em baixa Cascais é um dos concelhos da AM Lisboa que tem vindo a sentir um ajuste nos indicadores analisados pela Confidencial Imobiliário no âmbito da sua oferta habitacional, através da base de dados LardoceLar.com. Este concelho, que concentra a maior bolsa de alojamentos novos na área metropolitana (16%), regista o maior tempo de absorção a Norte do rio Tejo (21 meses para os novos e 20 para os usados), e numa das freguesias esse tempo alcançou mesmo os 34 meses nos alojamentos novos. Por outro lado, o número de fogos licenciados neste concelho está em retracção desde 2003, o mesmo acontecendo com os preços, nos quais são patentes revisões negativas em todos os tipos de imóveis. Fonte: Agência Financeira




Recomendar a um amigo

Use o seguinte formulário
close