Queda inédita na procura de escritórios leva rendas a baixar

23 Fevereiro 2010



A procura de escritórios nas principais localizações do mundo sofreu «uma quebra sem precedentes» em 2009, obrigando a baixar o valor das rendas prime pela primeira vez em seis anos, segundo um estudo da Cushman & Wakefield citado pela


O estudo «Office Space Across the World 2010», analisa as localizações de escritórios mais caras do mundo, e indica que a procura de espaços registou uma descida sem precedentes, «o que contribuiu para a primeira descida global agregada no valor das rendas prime de escritórios desde 2003».

Tóquio ascendeu ao primeiro lugar das localizações de escritórios mais caras do mundo, com custos totais de ocupação no valor de 1.441 euros por metro quadrado/ano, enquanto Londres passou da terceira para a segunda posição. Hong Kong, que estava no topo em 2009, passou para o terceiro lugar da tabela em 2010.

Lisboa manteve-se no 40.º lugar do ranking, apesar da ligeira quebra na renda prime que no final do ano se situou nos 19 euros por metro quadrado/mês.

A Cushman & Wakefield refere que, no ano passado, se registou uma quebra de 50% na procura, sublinhando que em 2008 se tinha atingido um valor «excepcionalmente elevado».

Em Lisboa, os custos totais de ocupação (renda prime mais custos de condomínio e taxas ou impostos) era de 339 euros por metro quadrado/ano.

Fonte: Agência Financeira






Recomendar a um amigo

Use o seguinte formulário
close