Euribor a 12 meses sobe pelo terceiro dia consecutivo

7 Agosto 2009



A maturidade mais longa das taxas euribor subiu pelo terceiro dia consecutivo, depois de ontem o BCE ter decidido manter inalterada a taxa de juros na zona euro nos 1%.


O prazo a doze meses voltou a subir para os 1,348%. Já a Euribor a seis meses, a mais utilizada no crédito à habitação em Portugal, recuou para 1,131%, enquanto que a Euribor a três meses, usada sobretudo nos empréstimos às empresas, caiu para 0,881%. Ontem, o BCE decidiu não mexer na sua taxa de juro de referência, tal como era esperado, mantendo-a em 1% pelo terceiro mês consecutivo. Na conferência de imprensa que se seguiu à reunião, o presidente do BCE, Jean-Claude Trichet, voltou a afastar o cenário de deflação, prevendo que a actual situação ``tenha vida curta`` e que a estabilidade de preços seja alcançada no ``médio prazo``. Trichet disse ainda que ``o ritmo de contracção da economia está claramente a abrandar``, mas que a actividade ``vai continuar fraca`` até ``ao final do ano``. E voltou por isso aapontar 2010 como ``um ano de ``recuperação gradual`` da economia. Relativamente à situação nos mercados de crédito, o presidente do BCE notou que o fluxo de créditos concedidos às empresas tornou-se ``substancialmente mais negativo`` nos últimos meses devido à quebra da procura, mas que os créditos aos particulares apresentaram uma evolução ``ligeiramente mais positiva``. O líder do Banco Central Europeu revelou ainda que a instituição comprou em Julho mais de 5,1 mil milhões de euros em obrigações cobertas [obrigações garantidas por créditos à habitação ou empréstimos ao sector público] aos bancos, sendo que o BCE tenciona ``absorver rapidamente`` toda a liquidez em excesso que exista na economia assim que a crise acabar. As Euribor costumam seguir a taxa de juro de referência do BCE e influenciam directamente a prestação da casa das famílias e o custo dos empréstimos dos bancos às empresas. Fonte: Económico




Recomendar a um amigo

Use o seguinte formulário
close