Imobiliário residencial turístico de luxo resiste à crise

25 Maio 2009



A International Realty Group (IRG), em parceria com a Prime Yield, apresentou o relatório anual sobre o mercado residencial turístico de luxo em Portugal em relação ao ano de 2008.


Ole Jeperson, da IRG, acredita que este mercado é capaz de superar a crise e que o ?número de transacções em 2008 foi um indicador? desta realidade.
Este responsável acrescenta ainda que, apesar de ter um forte concorrente como a Espanha, Portugal tem uma oferta, em termos de mercado residencial turístico de luxo, com excelente qualidade e uma arquitectura apelativa. A localização do nosso país, a apenas duas horas de qualquer destino europeu, é também uma das mais valias do mercado português. Apesar deste optimismo, Ole Jeperson diz ainda que não haverá nova oferta no próximo ano. Nelson Rego, director da Prime Yield, conclui que, este mercado apesar de não ser tão afectado como o segmento mais baixo, também sofreu algum abrandamento na actividade. ?É o sector que mais resiste?, afirma. Este responsável acrescenta que o mercado residencial turístico de luxo teve uma redução media de 3% em relação a 2007, enquanto a média global dos restantes segmentos foi de 18%. ?Em termos gerais, o ano de 2008 ficou marcado por um forte abrandamento da actividade económica que teve impacto directo no sector imobiliário. Acontece, porem, que ao constrario do que aconteceu em 2007, a realidade de 2008, o luxury residencial tourism market foi afectado pelo clima económico negativo?, conclui o director da Prime Yield. A analise foi divida entre resorts e condomínios, sendo que os resorts são projectos cuja âncora reside na praia e/ ou golfe e tratam-se de projectos integrados que oferecem produtos diferenciados, como apartamentos, townhouses, villas e lotes. Nos resorts, ao nível dos apartamentos, em termos de valor unitário por m2, uma sustentabilidade definida de valor de 3.654 por m2 em todas as zonas. No Algarve (Triângulo Dourado) os preços médios são de cerca de 4.700 por m2. Em relação às villas, verificou-se uma uniformidade de valores nas áreas Ocidentais, Orientais e Vilamoura. O Triângulo Dourado 4 e 5 quartos vilas chegam ao valor de 3.000.000 barreira que traduz como aproximadamente 6.200 por m2. As townhouses integradas nos resorts, são de facto o produto mais uniforme em termos de valor médio, com um valor de referencia unitário de 2.900 euros/m2. Por fim, nos lotes de terreno os valores de lotes de terreno com um índice de construção médio de 0.5 de acordo com os dados recolhidos. É no Estoril / Cascais Riviera que o valor médio por m2 alcançou máximo de cerca de 1.425 /m2. Os condomínios são projectos de bens imóveis desenvolvidos com coerência ao longo do seu desenvolvimento, e com administração integrada de todas as infra-estruturas. Nestes projectos, os apartamentos atingiram um price target por m2 sustentado acima dos 3.500, sendo que numa localização prime do Algarve (Triângulo Dourado) podem-se atingir transacções de tipologias T2 acima dos 5.300 por m2. Em relação às townhouses, assistiu-se a um price target por m2 consolidado acima dos 3.340 euros/m2. Nas villas, o price target está sustentado acima dos 3.365 euros/m2, sendo que na zona da linha Estoril/Cascais pudemos constatar que as Villas com 4 quartos podem atingir valores de cerca de 4.500 por m2. Finalmente, em relação aos lotes de terreno, os valores apresentados referem-se a lotes com um índice de construção médio de 0,5. Segundo este estudo, é no Algarve que os valores médios por m2 atingem o valor mais alto de 1.467 euros/m2. Fonte: Vida Imobiliária




Recomendar a um amigo

Use o seguinte formulário
close