Lisboa cai seis posições no ``ranking`` das localizações de escritórios mais caras do mundo

5 Março 2009



A cidade de Lisboa caiu seis posições no ``ranking`` das localizações de escritórios mais caras do mundo ocupando em 2009 o 39º lugar. O estudo da Cushman & Wakefield revela também que Londr


A cidade de Lisboa caiu seis posições no ``ranking`` das localizações de escritórios mais caras do mundo ocupando em 2009 o 39º lugar. O estudo da Cushman & Wakefield revela também que Londres deixou de ocupar a primeira posição, pela primeira vez em nove anos, sendo ultrapassada por Hong Kong e Tóquio.

Lisboa desceu este ano seis posições no ranking das localizações de escritórios mais caras do mundo. A capital portuguesa ocupa a 39ª posição, contra a 33ª em 2008, na lista publicada anualmente pela consultora imobiliária Cushman & Wakefield.

O custo total de ocupação, que corresponde a renda, custo de condomínio, eventuais impostos e outros custos associados ao arrendamento, é de 353 euros anual por metro quadrado, em Lisboa.

A Cushman refere que a descida do custo de arrendamento ocorreu ?apesar de 2008 ter sido um ano em que se atingiu um novo recorde de ocupação no mercado de escritórios de Lisboa, tendo sido transaccionados cerca de 233 mil metros quadrados de espaços de escritórios?.

Londres perde liderança pela primeira vez em nove anos

Londres perdeu o primeiro lugar no ranking, que ocupava há nove anos, descendo para a terceira posição. Hong Kong é agora a localização mais cara, com um custo associado de 1.743 euros anual por metro quadrado, seguida de Tóquio onde cada metro quadrado de escritório custa 1.649 euros.

Carlos Oliveira, partner e director do departamento de escritórios da C&W em Portugal, explica que ?a baixa taxa de disponibilidade de escritórios em Hong Kong? justifica o menor impacto que a descida das rendas teve nesta cidade comparativamente a Londres ou Tóquio.

O estudo da C&W tem por base 202 localizações em 57 países. Do total das 202 localizações, 58% registaram subidas nos valores das rendas, 26% estabilizaram e 16% sofreram descidas. Em 2008 apenas 1% das localizações registaram descidas nos custos das rendas.

Globalmente, a subida das rendas atingiu os 3%, um forte abrandamento face ao crescimento de 14% registado em 2008.

Na lista seguinte, apresenta-se o Ranking 2009, o Ranking 2008 e os Custos de ocupação por m2 por ano (em euros):

1 2 Hong Kong China 1.743
2 3 Tóquio Japão 1.649
3 1 Londres Reino Unido 1.403
4 5 Moscovo Rússia 1.275
5 8 Dubai EAU 1.168
6 4 Bombaim Índia 1.026
7 6 Paris França 994
8 n/a Damasco Síria 975
9 7 Singapura Singapura 866
10 10 Nova Iorque EUA 832
11 12 Milão Itália 728
12 13 Zurique Suíça 699
13 16 Kiev Ucrânia 686
14 14 Madrid Espanha 651
15 9 Dublin Irlanda 620
16 17 Ho Chi Minh City Vietname 611
17 18 Luxemburgo Luxemburgo 593
18 24 Xangai China 564
19 21 Frankfurt Alemanha 534
20 15 Estocolmo Suécia 525
21 22 Varsóvia Polónia 494
22 27 Atenas Grécia 489
23 26 Amesterdão Holanda 489
24 n/a Rio de Janeiro Brasil 478
25 11 Oslo Noruega 475
26 34 Istambul Turquia 444
27 38 Praga República Checa 439
28 20 Seul Coreia do Sul 438
29 28 Bruxelas Bélgica 416
30 19 Sydney Austrália 412
31 31 Viena Áustria 407
32 30 Copenhaga Dinamarca 406
33 37 Beirute Líbano 398
34 49 Kuala Lumpur Malásia 394
35 36 Budapeste Hungria 379
36 n/a Vancouver Canadá 367
37 35 Bucareste Roménia 367
38 42 Helsínquia Finlândia 360
39 33 Lisboa Portugal 353



Fonte: Jornal de Negócios





Recomendar a um amigo

Use o seguinte formulário
close