Produção de edifícios residenciais irá manter-se baixa

26 Janeiro 2009



O Índice de produção global do sector da construção registou uma quebra de 1,1% em 2008, um numero mais intenso que em 2007, cujo índice de produção registou 2,2%. A Fedicop, federação responsável pela divulgação deste índice, acredita


A Fedicop espera que, com as medidas já avançadas em Portugal e ao nível da Europa, contribuam para atenuar os efeitos da crise e permitam um relançamento do sector. O segmento da engenharia civil e a construção de edifícios não residenciais tem contribuído para atenuar os efeitos da crise no segmento da habitação, que registou descidas de 8,0%.

A quebra de confiança dos empresários tem afectado também o sector da construção. De facto, as expectativas dos parceiros europeus têm decrescido ao longo do ano passado, mais intensas no final do ano, o que contribuiu para uma queda mais pronunciada tanto da confiança dos empresários, como a carteira de encomendas e o emprego.

A extrema dificuldade financeira em que muitas das empresas do Sector se encontram é a principal conclusão da Fedicop, depois de apurados os resultados deste índice. A Fedicop acrescenta ainda que para interromper este ciclo negativo do sector da construção é necessário o aumento do investimento. Para 2009, as expectativas não são muito optimistas, dados os reduzidos níveis de licenciamento de edifícios para a habitação. Apesar desta situação, a produção de edifícios não residenciais tem demonstrado uma evolução positiva.


Fonte: Vida Imobiliária




Recomendar a um amigo

Use o seguinte formulário
close