Portugal contraria Europa e regista quebra no imobiliário

21 Novembro 2008



O mercado de investimento nacional voltou a decrescer no terceiro trimestre deste ano em 70% e 23% face ao primeiro e segundo trimestres, respectivamente, e ao contrário do que sucedeu na Europa cujo volume de transacções imobiliárias


Em termos agregados, os primeiros nove meses do ano acabaram por evidenciar um total de investimento em activos imobiliários de aproximadamente 580 milhões, traduzindo uma descida de 28% tendo em conta igual período de 2007.

 

«Um decréscimo que seria bem maior, não fosse a concretização no início do ano de uma grande operação envolvendo um portfolio de imobiliário turístico e que acabou por impulsionar o montante agregado de investimento ao longo de 2008. Só essa transacção foi responsável por cerca de 31% do total do volume de negócios registado até final de Setembro, traduzindo cerca de 180 milhões de euros», justifica a consultora. Tendo em conta a origem do investimento, os investidores estrangeiros, principalmente os oriundos do Reino Unido, foram, uma vez mais, claramente dominantes ao longo do trimestre, com os investidores nacionais a evidenciarem um enfraquecimento significativo da sua actividade.   «Até ao final do ano é de esperar a continuação do abrandamento do mercado de investimento, não só em Portugal, mas também a nível europeu. De facto, apesar das estratégias adoptadas recentemente por vários países com o intuito de dinamizar os principais mercados financeiros internacionais, através de elevadas injecções de capital, é de prever que o sector de investimento continue em desaceleração, com uma crescente desvalorização dos activos imobiliários e a continuação de uma atitude de expectativa por parte dos principais players do mercado», diz a CB Richard Ellis.

 

Fonte: Agência Financeira




Recomendar a um amigo

Use o seguinte formulário
close