Economia portuguesa vai crescer 2,0% em 2008

3 Janeiro 2008



A economia portuguesa deverá crescer dois por cento em 2008, de acordo com as últimas previsões da Comissão Europeia.


Isto traduz um aumento de 0,2 pontos percentuais em relação ao corrente ano, mas mesmo assim fica aquém da média da União Europeia a 27: +2,4 por cento em 2008 e 2,9 por cento em 2007.
Já a taxa de desemprego deverá manter-se nos 8,0 por cento (7,6 por cento em 2005, 7,7 por cento em 2006 e 8,0 por cento estimados para 2007) e a taxa de inflação deverá situar-se nos 2,4 por cento, valor idêntico ao registado este ano. O défice público português continuará a sua curva descendente, prevendo-se que em 2008 se fixe em 2,6 por cento do PIB (-3,0 por cento esperados para este ano, contra -3,9 por cento em 2006 e -6,1 por cento em 2005).
Comparativamente com a média da UE, o desemprego em Portugal continuará a ser mais elevado (1,0 e 1,2 pontos percentuais, respectivamente em 2007 e 2008), o mesmo sucedendo com o défice público (-1,1 por cento do PIB estimados para 2007 na UE 27 e -1,2 por cento para 2008). Apenas a taxa de inflação aproxima-se da média europeia.

Taxa de inflação pode aumentar

Este cenário, segundo a Comissão Europeia, já reflecte os efeitos das perturbações ocorridas, no passado Verão, no mercado financeiro norte-americano e o aumento sucessivo dos preços do petróleo. Se assim não fosse, o crescimento da economia europeia seria superior e a taxa de inflação mais moderada. Aliás, a CE alerta mesmo para o facto da taxa de inflação poder subir, o que implicará, certamente, novos aumentos das taxas de juro. ``No que diz respeito à inflação, a ocorrência de novos aumentos do preço do petróleo, bem como dos produtos alimentares e de base, pode implicar riscos de recrudescimento face ao cenário de base``, sublinha a Comissão Europeia. Fonte: AECOPS




Recomendar a um amigo

Use o seguinte formulário
close