Custos de construção de habitação nova aumentam quase 4%

14 Agosto 2007



O índice de custos de construção de habitação nova no continente registou uma variação homóloga de 3,7% no mês de Junho.


Segundo os dados revelados pelo Instituto Nacional de Estatística (INE), esta revela uma diminuição de 0,1 pontos percentuais (p.p.) verificada em relação ao mês de Maio.
Esta quebra deve-se, de acordo com o INE, à desaceleração registada na componente materiais, na ordem de 0,9 p.p., mais que compensando a aceleração na componente de mão-de-obra, na ordem de 0,4 p.p.. As taxas de variação homóloga destas componentes foram de 3,2% e de 4,1%, respectivamente (2).
Por tipo de construção, a taxa de variação homóloga de apartamentos foi de 3,5%, traduzindo uma desaceleração de 0,3%, enquanto a dos custos de moradias, manteve-se em 3,9%.

Manutenção regista quebra
O índice de preços de manutenção e reparação regular da habitação no continente apresentou uma variação homóloga de 3,1%, desacelerando 0,2 p.p. face à variação do mês anterior.
Esta desaceleração foi determinada pelo abrandamento em 0,8 p.p. da componente produtos, a que correspondeu uma variação homóloga de 4%. Já a componente serviços registou uma aceleração de 0,1 p.p., situando se a taxa de variação homóloga em 2,5%
O Norte, Lisboa e Vale do Tejo e Alentejo foram as regiões que contribuíram para a desaceleração do índice agregado, abrandando respectivamente 0,6 p.p., 0,1 p.p. e 0,5 p.p..
Por outro lado, nas regiões Centro e Algarve registram-se acelerações de 0,3 p.p. e 0,1 p.p. respectivamente. As regiões Norte e Centro apresentaram uma taxa de variação homóloga superior à do Continente, situando-se em 3,3% e 3,6%, respectivamente.

Fonte: Agência Financeira




Recomendar a um amigo

Use o seguinte formulário
close