Procura de empréstimos para aquisição de habitação voltou a aumentar no segundo trimestre

3 Agosto 2007



No segundo trimestre de 2007, a procura de empréstimos para aquisição de habitação voltou a aumentar ligeiramente. A evolução da confiança dos consumidores e a transferência de créditos de outras instituições terão contribuído positiva


Segundo um inquérito divulgado hoje pelo Banco de Portugal, no período em análise, os bancos mantiveram inalterados os critérios de aprovação de empréstimos a particulares para aquisição de habitação. De acordo com as respostas obtidas, esta estabilidade surge no contexto de pressões concorrenciais acrescidas, de uma melhoria das expectativas quanto à actividade económica em geral, mas de perspectivas menos favoráveis para o mercado da habitação.
O documento sublinha que, apesar de não terem introduzido alterações de magnitude significativa nos critérios de aprovação dos empréstimos a particulares para aquisição de habitação, os bancos inquiridos operaram algumas alterações de sentido oposto nas condições aplicadas a estes empréstimos. Por um lado, dois bancos diminuíram os spreads aplicados nestes contratos de financiamento, tendo dois outros efectuado alterações em sentido inverso. Por outro lado, verificaram-se alterações, no sentido de uma ligeira redução da restritividade das condições aplicadas, ao nível da maturidade e ao nível de comissões e outros encargos não relacionados com taxas de juro.
O Banco de Portugal acrescenta que os bancos inquiridos não esperam alterar de forma significativa os critérios aplicados na avaliação de pedidos de empréstimo para financiamento de aquisição de habitações durante o terceiro trimestre de 2007. De igual forma, a procura não deverá verificar alterações significativas, na medida em que um dos bancos espera que ocorra um ligeiro aumento da procura enquanto outro antecipa que a mesma verifique evolução oposta.

Fonte: Diário Económico




Recomendar a um amigo

Use o seguinte formulário
close